Atibaia News
Cotação
RSS

Como ajudar as pessoas em situação de rua?

Publicado em 19/07/2019 Editoria: Social sem comentários Comente! Imprimir


Foto: Arquivo pessoal/Milton

Foto: Arquivo pessoal/Milton

Por Armando Teixeira Junior

Quando o frio aperta, parte da sociedade se mobiliza para auxiliar as pessoas que mais sofrem durante o inverno. Dentre os que mais sofrem nesse período estão as pessoas em situação de rua. Em São Paulo entre os dias 05 e 06 deste mês foram registradas ao menos 3 mortes de pessoas em situação de rua atribuídas ao frio. (link aqui)

Na cidade de Bragança Paulista, um homem que vivia em situação de rua morreu afogado no Lago do Taboão, em uma triste situação de desrespeito com a vida humana, após uma aposta. (link aqui).

Em Atibaia a Prefeitura Municipal tem orientado as entidades beneficentes e grupos da sociedade civil a somarem esforços e direcionarem o atendimento aos “moradores de rua” para a “Casa de Passagem”, onde os mesmos recebem moradia temporária, atendimento psicossocial e a possibilidade de retornar a família ou se inserir no mercado de trabalho de forma gradativa.

A preocupação em centralizar os atendimentos é que gestos simples como doar um prato de comida ou um agasalho, acabem por reforçar a permanência nas ruas de pessoas que estão sem moradia fixa, sendo apenas um paliativo que não resolve a situação nem contribui para a reinserção social do indivíduo. Muitas das pessoas em situação de rua podem apresentar também dependência de álcool e drogas, e se recusar a receber ajuda, por isso doar apenas um agasalho ou refeição não resolve o problema, se faz necessária uma abordagem mais ampla e com ajuda especializada.

Você conhece a Casa de Passagem de Atibaia?

Localizada a Estrada dos Perines, n° 495, no bairro Boa Vista, a Casa de Passagem foi criada com o objetivo de acolher pessoas em situação de rua ou em trânsito no município de Atibaia.

A estrutura do local conta com 10 quartos, 9 banheiros, 2 salas TV, 2 refeitórios, 2 salas de atendimento psicossocial, 2 salas de reuniões, 2 cozinhas e 1 sala de coordenação. A acomodação nos quartos é dividida por gênero e não existem quartos para casais.

Um detalhe chama a atenção, animais que acompanham as pessoas em situação de rua também são acolhidos, uma vez que é muito comum a companhia de cachorros nesses casos.
Atualmente 77 pessoas são acolhidas, e recebem 4 refeições diárias, atendimento psicossocial, kits de higiene pessoal e roupas.

Entre as atividades oferecidas estão: oficinas socioeducativas, cuidados com animais
cuidados com jardim, oficina de geração de renda, participação no projeto “Horta Solidária”, atividades com marcenaria e serralheria.

Além disso a equipe do local auxilia as pessoas em situação de rua que precisam de encaminhamento para serviços de saúde, auxílio com a documentação ou reinserção no mercado de trabalho.
No local existem regras de convívio que devem ser respeitadas: o usuário deverá participar da organização da casa, participar das oficinas, do atendimento psicossocial, não podem fazer uso de bebidas ou drogas dentro da casa.

Podem sair apenas uma vez no dia. Não podem vir para casa apenas para se alimentar tem que estar acolhido e concordar com as regras.
O local é mantido por meio de convênio com a prefeitura e por doações de colaboradores.

E as pessoas em situação de rua que não aceitam esses termos? Para esses casos existe o serviço de Centro POP que é um equipamento municipal que atende pessoas que necessitam de assistência, mas que preferem continuar na rua. O local oferece banho, atendimento psicossocial e lanche.

Todas as informações sobre a Casa de Passagem, são oficiais e foram disponibilizadas pela Prefeitura de Atibaia, através de sua assessoria.

Instituições religiosas e Organizações da Sociedade Civil foram parte importante da história do trabalho com pessoas em situação de rua no município

A cidade de Atibaia tem um longo histórico de preocupação e cuidados com pessoas em situação de rua. No passado ainda recente, esse trabalho era em parte realizado de forma informal, mas com grande seriedade por instituições religiosas e organizações da sociedade civil.

A Sociedade de São Vicente de Paulo, grupo ligado à Igreja Católica, e conhecido popularmente como “Vicentinos”, durante muitos anos realizou um trabalho pioneiro que mobilizava voluntários e grupos da sociedade civil em prol das pessoas em situação de rua oferecendo alimento e agasalhos.

O Centro de Convivência Dra. Suely Therezinha de Freitas, localizado a Avenida Gerônimo de Camargo, n° 290, era o local onde a maior parte das ações aconteciam e foi inaugurado pelo grupo em 05 de agosto de 2012. Encerrou suas atividades no dia 30 de junho deste ano, foram 7 anos de trabalho junto a pessoas em situação de rua. O grupo de voluntários era composto por 22 equipes que se revezavam durante o mês para manter o local funcionando de segunda a sexta-feira, servindo em média 50 refeições por dia. O trabalho não era exclusivo da igreja católica e tinha o apoio do Rotary Club, do grupo Célula de Luz e de Igrejas Evangélicas.

Outros grupos apresentavam iniciativas semelhantes por toda a cidade.

A equipe do Atibaia News conversou com o casal Milton Lopes e Fátima Lopes que semanalmente atuavam como voluntários na preparação de alimentos e entrega de marmitas e roupas para a população em situação de rua. O trabalho era realizado no Santuário “A Senhora de Todos os Povos” no bairro Jd. Cerejeiras.

Todas as segundas-feiras, por mais de 2 anos, foram entregues cerca de 80 refeições em marmitex. O grupo de voluntários era composto de 4 mulheres e 6 homens. Os alimentos preparados eram conquistados através de campanhas de doações.

“Atendíamos com esta assistência aproximadamente 80 pessoas em situação de rua, mas aprendíamos muito com eles sobre os problemas com os familiares, a falta de ajuda por porte das famílias e do governo. Infelizmente a maioria, são pessoas que tem família e que por motivo de uso de drogas e álcool, são lançadas as ruas.” Conta Milton.

O grupo de voluntários muitas vezes se deparava com situações de abandono por parte da família e do estado, principalmente nos casos onde existia dependência química e que o grupo tentava auxiliar na medida do possível as situações mais delicadas.

 “Muitos são drogados ou alcoólatras precisando de ajuda. Esta ajuda é que interessa. Nós tentamos, levávamos para as casas de recuperação, porém com o problema da abstinência eles retornavam para as ruas.”

Esse dado informado por Milton, ressalta a importância de oferecer as pessoas em situação de rua um atendimento mais completo, inclusive com profissionais da área de saúde que auxiliem na reabilitação em casos de dependência.

Havia ainda uma preocupação humana e religiosa no gesto do grupo, que na abordagem as pessoas em situação de rua, ofereciam alguns minutos de atenção e sugeriam uma breve oração.

“O gesto de entregar os alimentos na minha opinião é um gesto nobre pois poucas pessoas estão preocupadas com a fome e frio. Eles gostavam que nós fizéssemos orações com eles, normalmente o Pai Nosso e Ave-Maria, acompanhado de algum pedido especial do próprio morador. Situação difícil para eles. Alguns tinham até bíblia dentro da bolsa e também o terço.“ Conclui.

Atualmente a orientação da Prefeitura Municipal de Atibaia é que todos os gestos de ação voluntária e colaboração sejam planejados juntamente com as equipes municipais que mantém a “Casa de Passagem” e o “Centro Pop” que seriam os meios mais adequados para auxiliar a população em situação de rua.

Casa de Passagem
Endereço: Estrada dos Perines, 495 - bairro Boa Vista
Telefone: (11) 4415-2274
 
Centro Pop
Endereço: Rua Albertina Miele Pires, 153 - Vila Maria
Telefone: (11) 4411-8087

Colaboração:
Assessoria de Imprensa de Atibaia
Milton Lopes e Fátima Lopes

› FONTE: Atibaia News (portalatibaianews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário