Atibaia News
Cotação
RSS

Grupos desrespeitam a lei e a quarentena para subir a Pedra Grande

Publicado em 21/05/2020 Editoria: Meio ambiente 1 comentário Comente! Imprimir


Foto enviada por um leitor do site denunciando o acesso irregular de visitantes no Parque Estadual do Itapetinga.

Foto enviada por um leitor do site denunciando o acesso irregular de visitantes no Parque Estadual do Itapetinga.

Parque Estadual do Itapetinga sofre com o desrespeito de visitantes que insistem em escalar e utilizar as trilhas do local. A visitação está proibida durante a pandemia.

Armando Teixeira Junior

Em Atibaia, o Monumento Natural Estadual da Pedra Grande, que atrai visitantes durante todo o ano está com a visitação suspensa desde o dia 21 de março, obedecendo determinação do Governo do Estado de São Paulo, mesmo assim grupos de pessoas se recusam a obedecer e tentam de todas as formas driblar a fiscalização para “subir” a Pedra Grande.

Com trilhas diversas e muitos pontos de acesso, controlar a subida de visitantes é difícil, e muitas vezes durante a abordagem os grupos se recusam a obedecer, e insistem na subida. A Fundação Florestal é o órgão responsável pela área e tem redobrado esforços para que a região seja preservada e que em tempos de pandemia não se torne ponto de aglomerações.

O Portal Atibaia News recebeu denúncias de leitores, inclusive com fotos, registrando grupos subindo as trilhas de acesso.


Arquivo Parque Estadual do Itapetinga, Fundação Florestal

Falamos com o Assessor de Comunicação da Fundação Florestal que relatou ao Portal Atibaia News as principais dificuldades na conscientização das pessoas que insistem em descumprir a determinação estadual que proíbe o acesso a Pedra Grande durante a pandemia.

Atibaia News: Para as pessoas que não conhecem as restrições específicas aos Parques Estaduais desse período de quarentena, qual é a situação atual da Pedra Grande em Atibaia? O acesso está proibido?

R: A Pedra Grande e seus acessos (trilha e estrada) estão inseridos no Parque Estadual do Itapetinga e Monumento Natural Estadual da Pedra Grande, Unidades de Conservação de Proteção Integral administradas pela Fundação do Parque Estadual do Itapetinga Florestal, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Infraestrutura e Meio Ambiente.


Arquivo Parque Estadual do Itapetinga, Fundação Florestal

Desde o dia 21 de março de 2020 todas as visitas às Unidades de Conservação estão suspensas, com o objetivo de conter a propagação do COVID-19, por força de decretos, amplamente divulgados pelo Governo do Estado de São Paulo. Em condições normais, a Pedra Grande recebe em média 1.500 visitantes ao dia, vindos, em sua maioria, dos grandes centros da região metropolitana de São Paulo.

Atibaia News: Leitores do Portal Atibaia News nos escreveram e enviaram fotos denunciando que muitas pessoas continuam subindo a Pedra Grande e tendo acesso ao Parque Estadual do Itapetinga. Como está sendo feita a fiscalização nesse período?

Considerando a existência de vários acessos, como vias alternativas e trilhas não convencionais, alguns visitantes estão descumprindo as determinações e recomendações para fins de contenção da propagação da pandemia e, consequente, desrespeito às regras de suspensão das atividades de visitação às Unidades de Conservação.


Arquivo Parque Estadual do Itapetinga, Fundação Florestal

Desta forma, a Fundação Florestal, por meio de seus funcionários e colaboradores, com apoio da Polícia Militar Ambiental e Guarda Civil do município de Atibaia, além da rede de apoiadores da sociedade civil e demais órgãos públicos, oferece orientações aos visitantes e faz a solicitação de regresso.

Atibaia News: Qual o papel do poder municipal nesse controle? Prefeitura e forças de segurança têm colaborado para evitar esses acessos?

A atuação com os órgãos públicos municipais junto à gestão das Unidades de Conservação tem sido fundamental em diversas ações de fiscalização e proteção, principalmente neste período de pandemia. A articulação realizada com os municípios, somada aos serviços de vigilância do Parque Estadual do Itapetinga e Monumento Natural Estadual da Pedra Grande e equipes da Polícia Militar Ambiental, tem evitado e controlado a visitação durante período de pandemia, a exemplo das ações de controle durante os feriados, como o 1º de Maio.

Atibaia News: Existe algum tipo de punição ou multa, prevista em lei, para aqueles que descumprirem as orientações do período de quarentena?

As sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente estão previstas na Lei Federal nº 9.605/1998 (Lei de Crimes Ambientais). São agravadas quando atingem áreas no interior de Unidades de Conservação. Com relação ao descumprimento das regras no período de pandemia, a Fundação Florestal e as autoridades vêm adotando a postura de desmobilização de possíveis grupos que adentrem as Unidades de Conservação, com orientação.

Atibaia News: Quais as principais dificuldades que você e sua equipe têm enfrentado ao tentar dialogar com as pessoas que são abordadas durante o acesso irregular a esses trechos?

R: A grande dificuldade é a resistência no cumprimento das regras de suspensão das atividades de visitação por grupos minoritários, a extensão territorial da Unidade de Conservação e a combinação de caminhos alternativos para acesso ao atrativo, como o uso de trilhas e aceiros existentes utilizados para prevenção de incêndios florestais.

Atibaia News: Na sua opinião o que é necessário para aumentar a conscientização das pessoas que insistem em subir a Pedra Grande nesse período?

R: Fortalecimento e ampliação da divulgação das regras das Unidades de Conservação, principalmente a respeito da suspensão de visitação, enquanto perdurar o estado de calamidade pública durante o período da pandemia. É o que a Fundação Florestal tem feito em seus canais de comunicação, como as redes sociais, de forma contínua. Vale lembrar que a reabertura das UCs depende da determinação dos órgãos oficiais, principalmente aqueles relacionados às áreas de saúde, evitando desta forma a disseminação do COVID-19 e, consequentemente, o iminente colapso do sistema de saúde da região.

› FONTE: Atibaia News (portalatibaianews.com.br)


1 comentário

Deixe o seu comentário