Em feriado de 9 de julho como dia útil, Prefeitura promove solenidade pela Revolução Constitucionalista de 1932

Publicado em 09/07/2020 Editoria: Cidade

Feriado foi antecipado em maio

Cerimônia em homenagem aos heróis de Atibaia na Revolução de 32 será realizada a partir das 9h, na 3° Cia da Polícia Militar, em Atibaia

Na quinta-feira, 9 de julho, data em que é celebrado o Dia da Revolução Constitucionalista, a Prefeitura da Estância de Atibaia realizará uma cerimônia em homenagem aos heróis ex-combatentes do município que participaram do movimento armado ocorrido no Estado de São Paulo no início da década de 30 (1932), completando 88 anos em 2020.

A cerimônia será realizada a partir das 9h, na 3° Cia da Polícia Militar, em Atibaia, sem a presença de público, apenas com equipe reduzida de autoridades, membros do Gabinete de Gestão Integrada de Segurança Pública – GGI e o familiar de um dos ex-combatentes representando a todos – um protocolo em cumprimento às medidas de enfrentamento ao Coronavírus.

Justamente em função da prevenção à COVID-19, este ano o evento não poderá ser realizado nos moldes das solenidades de edições anteriores, portanto não haverá entrega de condecorações a personalidades que se destacaram durante o ano e aos ex-combatentes que fazem parte da história da cidade, tampouco haverá a tradicional cerimônia eucarística no mausoléu existente no Cemitério São João Batista em memória aos heróis de Atibaia na Revolução.

Vale lembrar que 9 de julho seria considerado feriado em todo o Estado de São Paulo, mas um projeto de lei do Governo Estadual antecipou a comemoração da Revolução Constitucionalista de 1932 para 25 de maio, com o objetivo de aumentar o isolamento social naquele momento e conter a propagação do Coronavírus no Estado. Por ser uma lei estadual, a medida também teve validade em Atibaia, por isso nesta quinta-feira (9) não é feriado no município.

A Revolução Constitucionalista de 1932 ocorreu no Estado de São Paulo, com início em 9 de julho, e foi marcada por uma resistência ao Governo Federal vigente à época, provisório, de Getúlio Vargas. O movimento foi liderado pelos paulistas, que defendiam uma nova Constituição para o Brasil. Durante meses as tropas paulistas entraram em confronto com as forças militares de Vargas, mas, isolados, acabaram derrotados. Apesar da derrota no campo de batalha, o levante paulista teve como consequência uma nova Constituição do Brasil, promulgada no ano de 1934.

› FONTE: Atibaia News (portalatibaianews.com.br)